As 12 Horas voltam às tradições

 

A Federação Gaúcha de Automobilismo homologa e regulamenta as normas técnicas e esportivas da prova de longa duração mais famosa do Brasil, que se inicia à meia-noite do dia 14 de dezembro, na madrugada de sábado para domingo, e será disputada apenas pelos carros do Gaúcho de Marcas e Pilotos, com condições iguais para todas as equipes.

Nascidas nas ruas às vezes mal calçadas e cheias de poeira da Zona Sul da capital do Rio Grande do Sul, as 12 Horas tiveram sua primeira edição em 1962 com a terminologia Porto Alegre. Ficaram assim na prova de estreia, com a vitória do lendário Breno Fornari e Afonso Hoch, com um Simca, com Walter Dal Zotto e Juvenal Martini, também com um Simca, em 1963, e terminaram com a conquista de Emerson e Wilsinho Fittipaldi em 1968, a bordo de um Fusca superenvenenado, antes de o “Rato” começar sua aventura vitoriosa na Europa. Um ano depois da inauguração do circuito de Viamão, Pedro Vítor De Lamare, José Marchi e Clovis Moraes, com um Opala, venceram as primeiras 12 Horas de Tarumã.

A terceira revolução na prova de longa duração mais famosa do Brasil veio em 1999, com o primeiro lugar de um protótipo como o “Fita Azul” (vencedor das 12 Horas no Geral), com o quarteto João Sant’Anna, Adriano Baldo, Luciano Mottin e Juliano Moro com o MCR 46, o “Patinho Feio”, construído pela gaúcha MetalMoro, inaugurando uma era que só terminaria no ano passado com o triunfo do famoso Tubarão de número 5, de Campo Bom. Os potentes e caros protótipos acabaram tirando as chances dos carros de Turismo nas 12 Horas e desvirtuando a tradição da corrida de longa duração.

Para este ano, tudo mudou. O Automóvel Clube do Rio Grande do Sul, dono do Autódromo Internacional de Tarumã, por meio de seu novo presidente, Rodrigo Machado, com a chancela técnica e oficial da Federação Gaúcha de Automobilismo (FGA), acabou “expulsando” os protótipos da festa. As 12 Horas de 2019 serão disputadas apenas com os carros do Gaúcho de Marcas e Pilotos, com o conjunto mecânico rigorosamente igual para todas as equipes. Antes dos treinos desta sexta-feira, trinta e seis equipes já tinham confirmado presença, trazendo velhos campeões e novos talentos do automobilismo gaúcho. Além disso, a largada volta a ser ao estilo Le Mans, com os carros partindo alinhados perpendicularmente à reta dos boxes, precisamente à meia-noite de sábado para domingo.

Com o novo formato – na verdade, uma volta ao passado -, as 12 Horas de Tarumã deste ano terão grid cheio na pista e grande público nas arquibancadas, platôs, barrancos e gramados do autódromo de Viamão, tudo regado ao aroma do churrasco feito aos borbotões pelos espectadores nas barracas, trailers e veículos adaptados, em churrasqueiras, no meio-barril, construídas improvisadamente de tijolos ou ao velho estilo rio-grandense, no chão.

Programação:

Sexta-feira (15/12)

16h às 18h – Treinos livres
18h30min às 20h20min – Treinos de classificação
20h30min às 21h30min – Treinos livres (Copa Classic)
21h30min à meia-noite – Treinos livres (12 Horas de Tarumã)

Sábado (16/12)

09h ao meio-dia – Track Day
13h às 14h – Treinos livres (Copa Classic)
14h5min às 16h – Track Day
16h10min às 16h30min – Treinos de classificação (Copa Classic)
1h:40min às 17h40min – Time Attack
18h10min – Largada Copa Classic, 1ª bateria (25 minutos)
19h10min – Largada Copa Classic, 2ª bateria (25 minutos)
20h10min – Largada Copa Classic, 3ª bateria (25 minutos)
21h30min – Vistoria geral
22h45min – Abertura de box para as 12h de Tarumã (passagem obrigatória pelo pit lane)
23h20min – Fechamento de box
23h30min – Posicionamento do grid (Le Mans)
Meia-noite – Largada para a 37ª 12 Horas de Tarumã

Domingo (17/12)

Meio-dia – Chegada para a 37ª 12 Horas de Tarumã

Ingressos: R$ 30 e R$ 70 com acesso aos boxes

A cronometragem oficial – item fundamental em uma prova de longa duração – é feita pela Cronomap.

A narração da corrida no autódromo é feita pelo lendário Perna, a “Voz das 12 Horas”.

O que vale mesmo para o público é estar no autódromo, mas a edição de 2019 tem mais uma novidade. O Automóvel Clube fechou uma parceria com a RDC TV Digital (Canais 24 e 524 da NET) para a transmissão das 12 Horas ao vivo, mais precisamente, as quatro horas finais da corrida, a partir das 8h de domingo. Para assistir na íntegra, mesmo os presentes a Tarumã, o aficionado pode ficar ligado no canal oficial das 12 Horas no Youtube – youtube.com/12horasdetaruma

Pilotos e equipes já confirmados:

Fernando Doval Jr (RS), Carlos Erwig (RS) e Paulo Ricardo Flores (RS) – Celta Equipe Xtreme

5 Tiel de Andrade (RS), Julio Martini (RS) e Ricardo Haag (RS) – Corsa Equipe MC Tubarão

7 Jorge Fleck (RS), Vicente Daudt (RS), Rafael Fleck (RS) e Danilo Martins (SC) – Celta Equipe Race Cars IGT

8 Marcos Silveira (RS), Analino Sirtule “Choka” (RS), Juliano Fantin (RS) e Jonas Simon (RS) – Onix Equipe Choka Racing

9 Bruno Ceccagno (RS) e Ian Jepsen Ely (RS) – Celta

10 J. Cardoso (Machão) (RS), F. Seabra (RS), P.Ventura (RS), Cristiano Almeida (Tigrinho) (RS), R. Biansini (RS) e Fernando Stedile (RS) – Autoracing

11 Fabiano Cardoso (RS), Thiago Tambasco (RS), Maicon Roncen (RS) e Luiz Sergio Sena (RS) – Fast Racing

12 Fabiano Kratina (RS) e Fernando Trennephol (RS)

14 Claiton Salcedo (RS), Kaki Andrade (RS), Dionathan Marins (RS) e Michel Giusti (SC) –  Corsa Equipe Kaki Race

21 Rodrigo Machado (RS), Christian Castro (RS), Roger Sandoval (RS) e Cacó Pereira (RS) – Celta Equipe RBM

22 Marcelo R Flores (RS) e Marcos Breda (RS) – Equipe My Dream-KF Tech

27 Rodrigo Machado (RS), Christian Castro (RS), Roger Sandoval (RS) e Cacó Pereira (RS) – Onix Equipe RBM

28 Luiz Cordeiro (DF), Gustavo da Silva Ribeiro (DF), Gabriel Corrêa (GO) e Rafael Varga de Carvalho (GO)

29 Guto Rotta (RS), Thiago Messias (RS) e Carlos Machado (RS)

35 Neni Fornari (RS), Eduardo Araujo (RS), João Luis Araujo (RS) e Vitor Hugo Polese (RS) – Celta

41 Davi Oliveira (RS), João Giovanella (RS) e Guilher Rusche (RS)

44 Eduardo Buneder (RS) e Alexandre Buneder (RS) – Celta

45 Pedro Pimenta (RS) e Cesar Cardoso (SP) – Celta Equipe My Dream Racing-KF

46 João Sant’anna (RS), Vitor Genz (RS), Lorenzo Fossá (RS) e Willian Gaiwski (RS) – Corsa

47 Otavio Bresolin (RS), Rodrigo Messa (RS) e Gustavo Tortelli (RS)

49 Paulo Jalles (RS) – Leandro Motorsport

54 Tiago Takagi (RS), Leonardo Flores (RS) e Alex Citron (RS) – Leandro Motorsport

56 Diego Possuelo (RS) – Celta

66 Luc Monteiro (PR) e Fabiano e Bibiano Cardoso (RS) – Scuderia Fast Racing

69 Pedro Basler (RS) – Celta

72 Djalma Fogaça (SP)

77 Daniel Elias (RS), Mario Barnardi (RS) e Luiz Sergio Sena Jr (RS)

90 Dudu Fuentes (RS), Rodrigo Ribas (RS) e Rafael Cohen (RS)

99 Demilson Andrade (RS), Silvio Carlos Lodi (RS), Nicolas Dallagnol (RS) e Christian Matuzalem (RS)

110 J. Cardoso (RS), F. Seabra (RS), P. Ventura (RS), Cristiano Almeida (RS), R. Biansini (RS) e Fernando Stedili – Autoracing

116 Rafael Costa (RS), Airton Dihel (RS) e Fernando Nose (RS) – Corsa

144 Luiz Carlos Ribeiro (RS) e Peter Ferter (MS) – Celta Equipe Ourocar-Charrua Racing

415 Marcelo Dieder (RS), Fábio Cabellera (RS) e Marcelo Mendes (RS)

819 Paulo Rogério Jr (RS) e Ike Ramos (RS)

 Todos os vencedores das 12 Horas:

As três primeiras provas foram disputadas no circuito de rua Cavalhada/Vila Nova (percurso de 6,5 quilômetros) na Zona Sul da Capital e se chamaram de 12 Horas de Porto Alegre.

1962 – Breno Fornari-Afonso Hoch (RS) Simca

1963 – Walter Dal Zotto-Juvenal Martini (RS-RS) Simca

1968 – Emerson Fittipaldi-Wilson Fittipaldi Júnior (SP-SP) Fusca

1971 – Pedro Vítor De Lamare-José Marchi-C Moraes (SP-RS) Opala

1972 – Pedro Carneiro Pereira-Ismael Chaves Barcellos (RS-RS) Opala

1973 – Lino Reginatto-Dênis Reginatto (RS-RS) Fusca

1974 – Renato Connil-Antônio Freire-Roberto Schimidt (RS) Maverick

1975 – José Carlos Pace-Paulo Mello Gomes (SP-SP) Maverick

1976 – Carlos Eduardo de Andrade-Edson Graczick (PR-PR) Opala

1984 – Armando Balbi – Toni Rocha (MG-RJ) Voyage (em Guaporé)

1986 – Anor Friedrich-Waldir Buneder-Serge Buchrieser (RS) Passat

1987 – Amadeo Moller-A.Biazus-A.Pasqual (RS) Uno

1988 – Walter Soldan-Egon Herzfeldt-João Campos (RS) Escort

1989 – Patrícia Souza-P.Souza-Luiz Lazzari (RS) Opala

1990 – Vítor Hugo Castro-Carlos Tavares (RS-RS) Voyage

1991 – Eduardo Freitas-Rodyvan Moller-P.Bortolatto (RS) Opala

1992 – Darci Marini-Darci Benini-José Valentini (RS) Opala (em Guaporé)

1993 – Vítor Castro-S. Cardoso-Luiz Mello (RS) Voyage

1994 – Renato Bocardi – GilceuTurra -Joel Castilhos (SP- RS – RS) Aldee RTT/VW

1995 – Walter Soldan-Luís Castro-Luiz Ribas (RS) Aldee RTT/VW

1996 – Vítor H. Castro-E. Freitas-F. Maciel(RS)Aldee RTT//VW

1997 – Vítor Castro-L. Marx-Luiz & R.Ribas (RS) Escort

1998 – Walter Soldan-Luís Castro-Luiz Ribas (RS) Aldee RTT/VW

1999 – J. Sant’Anna-A. Baldo-Luciano Mottin-J.Moro (RS) MCR/VW

2000 – Maria Rosito-D. Dornelles-P. Bertuol-S. Pereira Spyder/VW

2001 – J.B. Rodrigues-C. Kray-T. Spolador (PR-RS) MCR/VW

2002 – Vítor & Luís Castro-P. Hoerlle-A Fornari (RS)MCR/VW

2003 – J Moro- L Paternostro- G Losacco-X Negrão MCR VW/Turbo

2004 – J.Sant’Anna-A.Baldo-C.Kray (RS) MCR/VW Turbo

2005 – E. Stédile-F.Stédile-J Stédile (RS) Spyder/Opel

2006 – E.Stédile-F.Stédile-J Stédile (RS) Spyder/Opel

2007 – J Sant’Anna-V Genz-C.Kray-C. Castro (RS) MCR/VW Turbo

2008 – J Sant’Anna-V.Genz-C.Kray-C Castro (RS) MCR/VW Turbo

2009 – J.Moro-C.Castro-Luís A.Castro (RS) MRX/VW

2010 – G.Andrade-B.Justo-E. Ventre (RS)MCTubarão

2011 – G.Andrade-Bruno Justo-Eduardo Dieter (RS) MC Tubarão

2012 – P.Ventura/J.Cardoso/F.Toledo/G.Martins/C.Almeida (RS) MXR Turbo

2013 – L.Cardoso(RS)/J.Kraucher(RS)/A.Piedade(SP) MXR Turbo

2014 – J.Santanna/V.Genz/C.Kray/C.Castro MCR Turbo

2015 – V.Genz/C.Kray/C.Castro/P.Castro MCR Turbo

2016 – Poeta/Fortes/Santana/Queirolo/Assunção/Toso MCR Lamborghini

2017 – S.Ribas/M.Kern/P.Souza MRX Tubarão (RS)

2018 – Tiel Andrade/Julio Martini/Matheus Stumpf MC Tubarão IX Turbo

Por Daniel Dias / Fotos Daniel Dias